WebSeries: Em Movimento.

Em fevereiro de 2020 (antes da pandemia de corona vírus), fomos dar um rolê com o antropólogo e professor da Unifesp, Alexandre Barbosa Pereira. A proposta foi partir de sua casa, localizada na região de Cidade Ademar, na zona sul de São Paulo e passar por diferentes espaços, nos quais o pesquisador concentrou suas etnografias sobre juventude, sociabilidade e formas de conflito urbano. Durante a caminhada usamos casos como a piXação*, os rolezinhos e a ocupação criativa de praças públicas, para refletir sobres a seguinte pergunta: o que as ações transgressivas das juventudes periféricas são capazes de revelar sobre a lógica e os mecanismos de gestão dos grandes centros urbanos brasileiros? Essa prosa foi o piloto de uma série de conversas com pesquisadores de temas relevantes para a memória social do país, hoje lançamos o Ep 1 nomeado de “Cidade de Riscos: Juventudes e Urbanização Necropolítica” com o convidado Alexandre Barbosa Pereira.

Ficha técnica:

Roteiro e direção: Guilhermo Aderaldo e Daniel Fagundes

Fotografia: Daniel Neves Edição: Daniel Fagundes

Som direto: Guilhermo Aderaldo

Fiunalização e motion grafic: Lucas Henrique Ramos Marques da Silva

Produção: Caramuja

Contrato Doutoral: Co-Produção Urbana França/Brasil

Como parte do projeto ANR Co-Polis – “Co-produção social da cidade e da pesquisa cidadã. Perspectivas cruzadas sobre bairros operários e precários na França e no Brasil”, o UMR LAVUE 7218 está recrutando um doutorando em sociologia urbana .

O projeto Co-Polis está localizado na junção entre ciências sociais e estudos urbanos em torno do estudo das modalidades de coprodução urbana entre associações locais, universidades / pesquisa e facilitadores. A tese proposta visa contribuir para o programa científico da ANR sob uma perspectiva tripla: (a) analisar as condições de emergência e desenvolvimento de espaços co-produzidos ou programas co-desenvolvidos; (b) refletir a diversidade de práticas de coprodução; (c) entender as questões epistemológicas ligadas ao compartilhamento de conhecimentos.

O candidato ou o candidato desenvolverá um projeto de pesquisa pessoal dentro da estrutura conceitual e metodológica do projeto ANR e deve considerar a dimensão colaborativa como objeto de sua investigação, bem como o modus operandi de sua pesquisa. Ele trabalhará em vários estudos de caso empíricos em Ile de France e será convidado a desenvolver um campo comparativo na região de São Paulo. Este campo será realizado utilizando uma abordagem etnográfica, incluindo a contribuição para a pesquisa-ação participativa. Os campos de investigação serão escolhidos em colaboração com os pesquisadores e atores associativos envolvidos no projeto Co-Polis.
Após concluir o curso de ciências sociais, o doutorado terá um bom conhecimento prévio de sociologia e / ou antropologia urbana. Ele / ela terá o objetivo geral de desenvolver uma pesquisa de campo em Ile de France em um dos distritos identificados pelo projeto como um local emblemático de colaboração e deve ter um campo comparativo no Brasil

Mais informação na web do CNRS