Mundos em mediação: Gilberto Velho e a antropologia urbana em Portugal

Queremos convidá-los para a conferência “Mundos em mediação: Gilberto Velho e a antropologia urbana em Portugal”, de  Celso Castro (Escola de Ciências Sociais da Fundação Getúlio Vargas FGV CPDOC ), com comentários de Cristiana Bastos (Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa).

A apresentação tratará das relações entre a obra do antropólogo brasileiro Gilberto Velho e o campo da antropologia urbana em Portugal, que envolveram tanto a recepção de sua obra quanto seu papel como mediador entre antropólogos portugueses e brasileiros.

A conferência será no dia 23 de Janeiro, às 18h GMT, no ISCTE, Auditório Caiano Pereira (Edifício 1, Piso 0).

Este evento é realizado pelo CAU (Coletivo de Antropologia Urbana) que será apresentado no início da sessão. O CAU é um grupo de discussão informal nesta área de interesses, aberto e orientado para os que desenvolvem pesquisas de doutoramento, mestrado ou pós-doutoramento relacionadas com a antropologia urbana e a etnografia urbana.

Esperamos contar com vossa presença!

CAU

Seminário Narrativas Urbanas e Pesquisa Aplicada em Arte Mural, com Maria Luiza de Barros (FAU-USP)

Quais histórias podemos contar sobre as cidades? Como podemos representá-las em diferentes linguagens no espaço urbano? Ao atentar para as relações socioculturais que compõem a cidade, é possível estabelecer novas interlocuções com narrativas que a sustentam, criam, ressignificam, mas que por muitas vezes são subjugadas ou apagadas.

A fim de compartilhar experiências que valorizam diferentes percepções espaciais e se dedicam a criar estímulos para uma memória coletiva por meio da arte, será apresentada a prática da Cidade Quintal (Espírito Santo, Brasil), organização que visa transformar espaços e catalisar ações urbanas positivas.

https://www.cics.nova.fcsh.unl.pt/agenda/2023-06/narrativas-urbanas-e-pesquisa-aplicada-em-arte-mural

Organizado por Patrícia Pereira e Ricardo Campos, membros ETNO.URB. Dia 14 de Junho às 14h00 no CICS.NOVA (NOVA FCSH, Campus Campolide, sala SA).

Chamada para apresentações até 20 de março 2023

Divulgamos a chamada da XIV Reunião de Antropologia do Mercosul, que ocorrerá entre os dias 1 e 4 de agosto na Universidade Federal Fluminense (UFF), Niterói, RJ. E também para convidá-los a enviar seus resumos para o GT3: Água e Energia na Antropologia: sobre usos, arranjos sociotécnicos e intersecções entre saber e poder. O Gt está sendo organizado por Júlia O’Donnell (UFRJ), Ana Spivak L’Hoste (CONICET-IDES) e por Camila Pierobon (SDSU e ResiduaLab/UERJ) e os resumos podem ser enviados até 20 de março em português e espanhol. As cidades são particularmente afetadas por essa questão, desde o acesso, às cheias, os efeitos das secas, entre outros.

Resumo:

A água e a energia são bens vitais e essenciais para o desenvolvimento da vida social. Porém, o acesso, os usos e suas imbricações em atividades produtivas marcam importantes diferenças em termos históricos e geográficos, mas também culturais, de classe social, de gênero e raça. Nesse sentido, os estudos da água e da energia, independentemente ou em relação, vêm ganhando cada vez mais espaço na Antropologia. Diferentes autores chamam atenção para a multiplicidade das águas, desnaturalizando uma visão universalizante sobre os seus sentidos. Outros têm se comprometido com questões sobre a produção de energia, sobre as políticas energéticas, sobre resistências e sobre as intersecções entre energia e poder. Em diálogo com essa produção, o GT se propõe a discutir diferentes formas de manejo da água e do uso da energia em contextos latino-americanos. A intenção é avançar a reflexão sobre, por um lado, a água e a energia como partes essenciais da produção da vida e, por outro, como inseridas em relações de saber-poder por meio padronizações, cálculos e métricas que entram em conflito com outras ontologias e cosmologias, engendrando disputas que envolvem as commodities, o estado e as comunidades. Serão bem vindos trabalhos que reflitam sobre problemas gerados pelo acesso desigual à água e à energia, sobre os usos, sobre arranjos sociotécnicos que envolvem esses recursos e sobre as infraestruturas, dentre outras abordagens que dialoguem com esse campo analítico em expansão.

Práticas ativistas em São Paulo sob tempos distópicos

No dia 12 de setembro, às 17h, na Sala de Reuniões I, decorre a palestra “Práticas ativistas em São Paulo sob tempos distópicos”, com Heitor Frúgoli Jr., professor associado do Departamento de Antropologia da Universidade de São Paulo e coordenador do Grupo de Estudos de Antropologia da Cidade. Foi ainda docente da Cátedra de Estudos Brasileiros da Universidade de Leiden. 

Espaço urbano, formas cotidianas de cidadania, subjetividades. Histórias do Sul Global

A Rachel de Castro Almeida e a Luciana Teixeira de Andrade, membros ETNO.URB, vão participar neste evento da Urban Studies Foundation: “Espaço urbano, formas cotidianas de cidadania, subjetividades. Histórias do Sul Global” no dia 18 Maio às 16 h (Horário de Brasília).

Inscrição aqui.

Vamos passear por Belo Horizonte, no Brasil, por Delhi e Mumbai, na Índia, por Lagos na Nigéria? Vamos voltar aos anos 1930 e imaginar 2030?

Vamos descolonizar nossa produção científica?

Este é um convite para conhecermos a história de vida de Adunni, uma jovem mulher que viveu em Lagos entre as décadas de 1930 e 1960 e, ao mesmo tempo, as poesias de jovens mulheres brasileiras contemporâneas.

Nesse entrecruzar de tempos e espaços, refletirmos sobre os processos transição para a vida adulta, considerando as condições estruturais como o papel do Estado, desigualdade de gênero e elitismo. Os conteúdos dessas poesias produzidas por jovens que moram nas periferias urbanas da região metropolitana de Belo Horizonte se interligam às experiências de cidadania limitada, à voz política restrita e às condições de vida inaceitáveis vivenciadas por famílias de baixa renda em Delhi e Mumbai.

Os processos de gentrificação e as dificuldade imposta a uma maioria para o acesso à habitação no sul global atingem tanto essas famílias de baixa renda na Índia, quanto as de classe média em Belo Horizonte. E assim vamos juntos pensar no papel das políticas urbanas e do Estado no direito à cidade, na produção do espaço urbano formal e informal, legal e ilegal.

Aula Aberta: Etnografia urbana em Portugal. Interações e interseções disciplinares em perspetiva

Etnografia urbana em Portugal. Interações e interseções disciplinares em perspetiva
A conferência com a professora e investigadora Graça Cordeiro do ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa, irá realizar-se no âmbito da UC de Etnografia Urbana e Desenvolvimento Comunitário do Mestrado em Sociologia da FLUP no dia 16 de março, pelas 10h, na sala 311 da FLUP e online. A conferência é organizada pela investigadora Lígia Ferro. 

https://videoconf-colibri.zoom.us/j/81007055373
ID da reunião: 810 0705 5373
Senha de acesso: 328157 

Mesa Redonda 14 – Cidades, políticas de reconhecimento e gestão de populações

45º Encontro Anual da ANPOCS

20 de outubro, quarta-feira, das 9h15 às 11h https://www.anpocs2021.sinteseeventos.com.br/conteudo/view?ID_CONTEUDO=977

Coordenadora: Vanessa Marx (UFRGS)
Debatedora: Iracema Guimarães (UFBA)
Expositores: Roberto Marques (UECE/URCA), Ana Elisa Freitas (UFPR) e Roberta Guimarães
(IFCS/UFRJ).

Imagem incorporada

Resumo: Esta mesa redonda é fruto do diálogo estabelecido desde 2019 pelo Grupo de Pesquisa em Sociologia Urbana e Internacionalização das Cidades (GPSUIC/UFRGS) e pelo Núcleo de Estudos e Pesquisas em Espaço, Simbolismo e Poder (NESP/UFRJ). O foco de análise são os conflitos, dissensos e consensos produzidos no intercruzamento da ocupação dos espaços urbanos, dos pleitos de reconhecimento social e das políticas de identificação e gestão de segmentos subalternizados e minoritários. A partir de investigações realizadas em cidades brasileiras discutiremos as formas de identificar, produzir e gerir populações, territórios e identidades operadas por meio de (ou em contraste a) categorizações estatais e elaborações de políticas públicas voltadas para “mulheres”, “indígenas”, “negros” etc. Estarão em debate as negociações entre coletividades e agentes de diferentes escopos de poder político e econômico, os embates em torno das corporalidades consideradas legítimas para ocupar o espaço público e as disputas pelo controle das narrativas, dizibilidades e memórias sobre diferentes formas de violência.

1st International and Interdisciplinary conference on Spatial Methods for Urban Sustainability

Irá decorrer de 23 a 23 de Setembro de 2021 a Conferência SMUS CONFERENCE BOTSWANA 2021, organizada pelo Global Center of Spatial Methods for Urban Sustainability, da qual Fraya Frehe é lead partner na USP.

Visitem o website Botswana | SMUS (gcsmus.org) para a inscrição ou use o link e partilhem com potenciais interessadxs.
SMUS CONFERENCE BOTSWANA 2021

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSeFxCyZbvcBUeowhNOCelmWkPDE2Dyr4y-DyCTNmoLzhvqDfQ/viewform

Seminário “A cidade pelos comerciantes: práticas e projetos de vida no Porto e em Lisboa”

Daphne Cordeiro (UFF) e Priscilla Santos (FLUP) apresentarão as suas pesquisas em Lisboa e Porto, contando com a presença de Luís Baptista, da Universidade Nova de Lisboa, como debatedor. O evento é organizado pelo Grupo de Estudos de Antropologia da Cidade (GEAC) e terá a condução de Heitor Frúgoli. O seminário acontecerá dia 16/09 às 15 horas (horário de Portugal) no link: https://linktr.ee/geac

Resumo do Evento:  A partir de duas experiências de pesquisa acerca dos comércios e comerciantes na zona do Chiado, em Lisboa, e do Bonfim, no Porto, Portugal, pretende-se discutir como as noções de tradição e identidade são mobilizadas estrategicamente de diferentes maneiras pelos projetos de marketing de cidade do poder público e pelos atores sociais, como os comerciantes, engendrando possíveis ambivalências e negociações. Propõe-se pensar esses conceitos enquanto construções locais a partir do contexto da globalização.

image.png
Pesquisar OpenEdition Search

Você sera redirecionado para OpenEdition Search